A infertilidade afeta uma proporção considerável da população – cerca de 16% dos casais não consegue engravidar depois de um ano de relações sexuais sem proteção.1 Neste artigo, analisamos uma série de questões que podem causar problemas de fertilidade em homens e mulheres:

  • Aproximadamente, um terço dos casos de infertilidade está relacionado com as mulheres, 20% com os homens e quase metade envolve ambos os parceiros ou são inexplicáveis.2
  • Para as mulheres, a infertilidade está frequentemente relacionada com problemas hormonais, problemas nas trompas de falópio ou no útero.
  • Se uma mulher não está a ovular, identificar isso o mais rapidamente possível pode permitir que ela tome a ação clínica adequada.
  • Para os homens, a infertilidade está frequentemente relacionada com a baixa contagem de espermatozoides e a disfunção erétil.
  • Os aspetos do estilo de vida como peso, tabagismo e consumo de álcool podem reduzir a fertilidade para homens e mulheres
  • Se está a tentar engravidar há um ano, não obteve sucesso e tem menos de 35 anos, consulte um profissional de saúde para obter mais informações. Se tiver mais de 35 anos, consulte o seu médico depois de 6 meses a tentar engravidar. Se tiver mais de 40 anos, consulte o seu médico imediatamente.

O que pode causar problemas de fertilidade?

Compreenda as causas e explore as suas opções.

Se desejar saber mais sobre o que pode causar problemas de fertilidade nas mulheres, homens e casais, veja as informações abaixo sobre algumas das doenças ou causas mais comuns de infertilidade. Esta lista não está completa, pelo que pode falar com o seu médico para obter informações adicionais sobre a sua situação individual.


O que pode afetar a fertilidade das mulheres?

Existem duas áreas de problemas comuns que comprometem a possibilidade de engravidar – problemas hormonais, bem como problemas nas trompas de falópio e no útero.

1. Problemas hormonais

Anovulação

A ovulação é controlada pelas hormonas da fertilidade. Se, por algum motivo, ocorrer um desequilíbrio dos níveis hormonais, a ovulação pode ser afetada. A anovulação ocorre quando o ovário da mulher não consegue produzir, desenvolver ou libertar um óvulo.

A maioria das mulheres apresenta ciclos menstruais anovulatórios na sua vida reprodutiva. Tal é mais comum em mulheres jovens que começaram a ter a menstruação recentemente ou nas que se estão a aproximar da menopausa, mas os ciclos anovulatórios também ocorrem em mulheres saudáveis e com menstruação regular.

Algumas mulheres sofrem de anovulação crónica, o que pode indicar uma condição hormonal subjacente, como a síndrome do ovário poliquístico (SOP), que dificulta a conceção natural.3

Um sinal de possíveis problemas de ovulação é a menstruação muito irregular ou inexistente.

Este desequilíbrio hormonal que afeta a ovulação pode ser causado por muitos fatores. Entre eles estão mudanças significativas de peso, stress, exercícios físicos extenuantes e doenças.

Se uma mulher saudável e com menstruação regular usa os testes de ovulação ou o monitor de fertilidade Clearblue Advanced e deteta um ciclo anovulatório ocasional, deve ficar tranquila porque tal é normal e não deve ter impacto na fertilidade. No entanto, se não conseguir detetar a libertação de LH com os testes de ovulação ("pico" no Teste de ovulação Clearblue Advanced) por três ciclos consecutivos, vale a pena falar com um profissional de saúde.

Síndrome do ovário poliquístico (SOP)

O termo "ovários poliquísticos" descreve os ovários que contêm muitos "quistos" pequenos ou folículos com óvulos que não se desenvolveram adequadamente, muitas vezes devido a um desequilíbrio hormonal. Entre os sintomas estão menstruação irregular ou ausente, ganho de peso, crescimento de pelos em excesso e problemas ao tentar engravidar. Estima-se que cerca de uma em cada cinco mulheres no Reino Unido tenha ovários poliquísticos.4

Fase lútea curta

Se o número de dias entre a ovulação e a data em que a próxima menstruação é iniciada for muito curto (menos de 10 dias), tal pode significar que, embora possa engravidar, o óvulo fertilizado será expulso antes de ser implantado na parede uterina. Tal é algo que pode notar se estiver a utilizar um teste de ovulação ou um monitor de fertilidade. Para ver quanto tempo dura a sua fase lútea, conte o número de dias entre o segundo dia fértil de pico e o dia em que a menstruação inicia. Se considerar que a sua fase lútea é muito curta, fale com o seu médico, uma vez que esta condição pode ser tratável.

Tenho ciclos muito curtos. É por isso que não consigo engravidar?

Professor Michael Thomas

Um ciclo normal dura geralmente 23 a 35 dias. Ciclos menores ou maiores podem estar associados a problemas de fertilidade. Ao longo da vida reprodutiva da mulher, as durações típicas do ciclo geralmente estão nesse período. Se os ciclos forem geralmente inferiores a 23 dias, consulte um médico. A utilização de um monitor de fertilidade ou de um teste de ovulação caseiro ajuda a prever o tempo da ovulação.

Menopausa precoce

Quando chega à menopausa, a gravidez não é possível e, no período que antecede a menopausa (perimenopausa), pode ser muito difícil engravidar. Se a sua mãe tiver tido uma menopausa precoce, as suas hipóteses de também a ter serão maiores. Por isso, tente descobrir com que idade é que a sua mãe iniciou a menopausa. Se ela tiver tido uma menopausa precoce, fale com um profissional de saúde sobre os seus planos para engravidar.

2. Problemas nas trompas de falópio e no útero

As trompas de falópio transportam o óvulo do ovário para o útero. Um bloqueio nas trompas de falópio pode evitar que o espermatozoide chegue ao óvulo; um crescimento no útero pode impedir a implantação de um óvulo fertilizado.

Infeção por clamídia não tratada

A causa mais comum de bloqueio nas trompas de falópio é uma infeção por clamídia não tratada. A clamídia é uma infeção comum facilmente transmitida através de relações sexuais sem proteção. Algumas mulheres podem não estar cientes de que têm uma infeção por clamídia devido à falta de sintomas. Se houver uma hipótese de ter contraído clamídia, marque uma consulta com seu médico para fazer o exame.

Mioma

Um mioma é o crescimento anormal de tecido muscular no útero, o que pode bloquear as trompas de falópio ou impossibilitar a implantação de um óvulo fertilizado. Para obter mais informações, consulte um médico.

Endometriose

Ocorre quando o tecido que reveste o útero cresce no exterior do útero. Pode obstruir as trompas de falópio e impedir a fertilização. A endometriose pode causar uma menstruação dolorosa ou de fluxo muito intenso. Pode ser tratada com medicação ou com a remoção do tecido extra. O seu médico pode fornecer mais informações.

Tenho endometriose e estou preocupada em não conseguir engravidar. Isso é verdade?

Professor Bill Ledger, Especialista em Fertilidade

Muitas mulheres com endometriose leve engravidam normalmente, embora as hipóteses de apresentarem alguns problemas de fertilidade sejam mais altas. A endometriose grave pode lesionar as trompas de falópio, bem como os ovários e outras complicações decorrentes da endometriose também podem bloquear as trompas de falópio. Um ginecologista pode aconselhá-la sobre o que fazer neste caso. Se tiver endometriose, não tente por mais que alguns meses sem procurar ajuda médica.


O que causa geralmente problemas de fertilidade nos homens?

Existem três problemas principais que afetam a fertilidade de um homem: baixa contagem de espermatozoides ou má qualidade dos espermatozoides, disfunção erétil e outras causas menos comuns.

 

Contagem baixa de espermatozoides ou espermatozoides de má qualidade

Se a ejaculação masculina não tiver a quantidade normal de espermatozoides, as hipóteses de um deles fertilizar um óvulo são reduzidas. Se a qualidade dos espermatozoides for má, estes podem não conseguir chegar ao óvulo e atravessar a membrana para fertilizar o óvulo.

A produção de espermatozoides pode diminuir se os testículos não estiverem a uma temperatura baixa. O seu parceiro pode garantir que os testículos não fiquem muito aquecidos usando roupa interior larga. A quantidade e a qualidade dos espermatozoides podem ser determinadas com um exame simples que pode ser realizado pelo seu médico.

Disfunção erétil

Se o homem tiver problemas para ter ou manter uma ereção, por motivos físicos ou psicológicos, poderá ser-lhe difícil ter relações sexuais. Consulte o seu médico para obter informações adicionais sobre a ajuda disponível.

Outras causas

Entre as causas menos comuns da infertilidade masculina estão: bloqueios nos tubos que transportam os espermatozoides dos testículos, uma condição genética, problemas hormonais ou outras doenças mais raras. O seu médico pode identificar estes problemas através de exames.


Outros fatores que podem reduzir a fertilidade

Existem outros problemas que podem afetar a fertilidade do homem e da mulher.

Consumo de bebidas alcoólicas

A fertilidade do homem e da mulher pode ser afetada pelo consumo excessivo de bebidas alcoólicas. Reduzir a quantidade ingerida de álcool pode ajudá-la a engravidar. Além disso, consumir álcool durante a gravidez pode afetar a saúde do bebê; portanto, se você está tentando ter um bebê, vale a pena parar com o álcool – porque você nunca sabe quando conseguirá engravidar.

Tabagismo

Em comparação a não fumantes, homens fumantes têm uma contagem mais baixa de espermatozoides e um número mais alto de espermatozoides com anomalias. Nas mulheres, o ato de fumar pode afetar a fertilidade e desencadear uma menopausa precoce. Também pode aumentar o risco de aborto espontâneo e início precoce do trabalho de parto. Fumar é muito ruim para a saúde do bebê não nascido e é melhor parar de fumar antes de engravidar.

Você e seu parceiro devem tentar para de fumar se estiverem tentando engravidar.

Drogas recreativas

Muitos tipos de drogas recreativas e ilegais são usados atualmente e ainda não foi bem estudado como afetam a fertilidade. Uma vez que muitas drogas podem ter efeitos negativos em um bebê em desenvolvimento, você deve parar de usar qualquer droga recreativa ou ilegal ao tentar engravidar.

Peso

Estar abaixo ou acima do peso pode alterar seu ciclo menstrual e reduzir as chances de concepção. Homens acima do peso podem ter uma contagem mais baixa de espermatozoides, que podem ser de qualidade ruim. Consulte seu médico ou enfermeiro para saber o peso ideal e para obter conselhos práticos sobre ganhar ou perder peso, se necessário.

Medicamentos

Se você ou seu parceiro estiverem medicados, consulte seu médico para saber se os remédios não diminuirão sua fertilidade. Se ele reduzir a fertilidade de fato, pode haver alternativas disponíveis.

Lubrificantes

A secura vaginal é mais comum do que se pensa. Em um estudo com 11 países, envolvendo aproximadamente 6.500 mulheres, até 18% das mulheres com 18 a 34 anos relatou sentir secura vaginal sempre ou normalmente.5 Isso pode ser pior ao tentar engravidar, pois existe uma tendência a aumentar o número de relações sexuais nesse período. Alguns dos lubrificantes mais comuns podem ser prejudiciais ao espermatozoide; portanto, seu uso pode reduzir suas chances de engravidar. Lubrificantes inofensivos para o espermatozoide estão disponíveis.

Idade

A mulher nasce com uma quantidade fixa de óvulos e seu número é reduzido gradualmente com a idade. Após os 38 ou 40 anos de idade, a velocidade de perda é muito maior e a qualidade de óvulos também entra em declínio. Se você tiver mais de 35 anos, é uma boa ideia visitar seu médico depois de seis meses tentando engravidar. Se você tiver mais de 40 anos, consulte seu médico ao começar a tentar engravidar. Sabe-se menos sobre a fertilidade de homens mais velhos, mas acredita-se que também comece a entrar em declínio a partir dos 40 anos de idade.


Infertilidade não explicada

Por vezes, alguns exames clínicos terão resultados normais, mas você não conseguirá engravidar mesmo depois de anos de tentativas. Isso pode ser muito frustrante e causar muito sofrimento, pois não há um problema no qual você possa focar para que seja corrigido ou tratado. Estima-se que cerca de um terço dos casais com uma infertilidade não explicada engravidará naturalmente em 3 anos, sem nenhuma intervenção3.


O que ler em seguida?