Infertilidade e problemas de fertilidade

A infertilidade afeta uma proporção considerável da população, cerca de 9 a 15% dos casais no Reino Unido terão problemas de fertilidade1. Neste artigo analisamos vários aspetos que podem causar problemas de fertilidade tanto em homens como em mulheres, bem como o que é a infertilidade e como é diagnosticada, o que pode aumentar o risco de problemas de fertilidade, que potenciais tratamentos estão disponíveis e muito mais.

Quanto tempo demora a engravidar
  • Aproximadamente 30% de todos os casos de infertilidade estão relacionados com a mulher, outros 30% estão relacionados com o homem e 30 a 40% podem estar associados a ambos os parceiros ou ser inexplicáveis1.
  • Para as mulheres, a infertilidade está frequentemente relacionada com as hormonas ou problemas com as suas trompas de Falópio ou seu útero.
  • Se uma mulher não estiver a ovular, a identificação desta situação o mais cedo possível pode garantir que o seu médico possa tomar as medidas apropriadas.
  • Para os homens, a infertilidade está frequentemente relacionada com a baixa contagem de espermatozoides ou com a disfunção erétil.
  • Aspetos do estilo de vida, como o peso, o tabagismo e o consumo de bebidas alcoólicas podem diminuir a fertilidade tanto em homens como em mulheres.
  • Se está há um ano a tentar engravidar sem sucesso e tem 35 anos ou menos, deve falar com o seu profissional de saúde para obter mais recomendações. Se tiver mais de 35 anos, deve procurar ajuda após 6 meses de estar a tentar, e de imediato se tiver mais de 40 anos.

O que é a infertilidade?

Infertilidade é quando um casal está a tentar engravidar mas não consegue conceber dentro do espaço de um ano, apesar de ter regularmente relações sexuais sem proteção.

Muitos casais, na verdade, cerca de 50%, têm dificuldades em engravidar porque não têm relações sexuais na altura certa,2 falhando a janela fértil da mulher.

No entanto, se tiver regularmente relações sexuais e ainda tiver dificuldades em engravidar após um ano (ou após seis meses se tiver mais de 35 anos), então é uma boa ideia falar com o seu médico, pois existe uma hipótese de você ou o seu parceiro, ou mesmo ambos, poderem ser inférteis. 

Quais são os sintomas e sinais de infertilidade?

A infertilidade pode ter muitas causas diferentes, pelo que os sintomas podem depender da causa subjacente.

O sintoma principal e universal é, evidentemente, uma incapacidade de engravidar. Para as mulheres, outro sinal pode ser que os seus ciclos menstruais serem demasiado longos, demasiado curtos, irregulares ou ausentes. Tal deve-se ao facto de estes poderem ser uma indicação de que a ovulação não está a ocorrer.

Caso contrário, não existem sinais ou sintomas que apontem para a infertilidade.

Poderá querer consultar o seu médico para fins de aconselhamento se:

  • Estiver a tentar engravidar há mais de um ano.
  • Tiver mais de 35 anos e estiver a tentar há 6 meses.
  • Tiver qualquer motivo para estar preocupada com a sua fertilidade.

O que pode causar infertilidade e problemas de fertilidade?

Existem muitas razões possíveis para a infertilidade, tanto em homens como em mulheres. Descubra abaixo algumas das condições mais comuns e outras causas que podem resultar em problemas de fertilidade em mulheres, homens e casais. 

Tenha em mente que esta lista não é exaustiva e que o seu médico poderá fazer um diagnóstico com base na sua situação individual.

O que pode causar infertilidade nas mulheres? 

Para as mulheres, existem duas áreas comuns que podem provocar problemas, tornando difícil engravidar: problemas hormonais e problemas com as trompas de Falópio ou o útero.

1. Problemas hormonais

Anovulação

A ovulação é controlada pelas suas hormonas da fertilidade. Se tiver alguma razão para os seus níveis hormonais estarem perturbados, a ovulação pode ser afetada. A anovulação é quando o ovário de uma mulher não produz, amadurece ou liberta um óvulo. Um sinal de possíveis problemas na ovulação são as menstruações muito irregulares ou a ausência de menstruação.

A maioria das mulheres irá ter ciclos menstruais anovulatórios em algum momento da sua vida reprodutiva. Isto é mais comum em mulheres jovens que começaram a ter a menstruação há pouco tempo ou mulheres mais velhas que se aproximam da menopausa, mas os ciclos anovulatórios também acontecem entre mulheres saudáveis e com menstruações regulares.

Algumas mulheres sofrem de anovulação crónica, o que pode ser uma indicação de uma condição hormonal subjacente, tal como a Síndrome de Ovário Poliquístico (SOP), o que pode dificultar a conceção natural3.

A perturbação hormonal que afeta a ovulação pode ter origem em vários fatores. Estes incluem alterações acentuadas no peso, stress, exercício intenso e doença.

Se uma mulher saudável e com menstruações regulares estiver a utilizar testes de ovulação ou o Monitor de fertilidade Clearblue Avançado e detetar um ciclo anovulatório ocasional, pode ficar tranquila de que isso é normal e não deve ter qualquer impacto na sua fertilidade. No entanto, se não detetar a libertação de LH com testes de ovulação ("pico" num Teste de ovulação Clearblue Avançado) durante três ciclos consecutivos, deverá falar com o seu profissional de saúde.

Síndrome de ovário poliquístico (SOP)

O termo "ovários poliquísticos" descreve ovários que contêm vários pequenos "quistos" ou folículos com óvulos que não se desenvolveram adequadamente, muitas vezes devido a um desequilíbrio hormonal. 

Os sintomas podem incluir menstruações irregulares ou a ausência de menstruação, aumento de peso, crescimento de pelos em excesso, bem como problemas a tentar engravidar. Estima-se que cerca de 1 em cada 10 mulheres no Reino Unido tem ovários poliquísticos4. No entanto, é possível uma mulher ter vários quistos nos ovários e não ter SOP.  

A 13 de abril de 2020, o meu marido e eu descobrimos que íamos ser pais. FINALMENTE. Demorámos 1,5 anos a engravidar.
Fui diagnosticada com SOP aos 16 anos e nunca pensei que me fosse possível engravidar. Lutámos contra este problema e nunca desistimos. Tenho agora 27 anos e mal posso esperar pelo mês de dezembro para conhecer o nosso bebé. 
Obrigado Clearblue por me dar resultados tão claros!

Andrea, EUA (2020) - Veja mais histórias em #Conceivinghood 
 

Fase lútea curta

Se o número de dias entre a ovulação e o início da sua próxima menstruação for demasiado pequeno (menos de 10), tal pode implicar que, apesar de poder engravidar, o óvulo fertilizado é expelido antes de poder ser implantado no revestimento do útero. 

Poderá reparar que tem uma fase lútea curta se estiver a utilizar um teste de ovulação ou um monitor de fertilidade para verificar o dia em que ovula e reparar que tem a sua menstruação logo a seguir (menos de 10 dias).

Para verificar a duração da sua fase lútea, conte o número de dias entre o seu segundo dia do pico de fertilidade e o início da sua menstruação. Se considerar que a sua fase lútea é demasiado curta, fale com o seu médico, uma vez que esta condição pode ser tratável.

Tenho ciclos muito curtos. É por isso que não consigo engravidar?

Professor Michael Thomas

O ciclo normal é geralmente de 23 a 35 dias. Os ciclos menores ou maiores podem estar associados a problemas de fertilidade. Ao longo da vida reprodutiva da mulher, a duração típica do seu ciclo vai encaixar neste período de tempo. Se os seus ciclos forem geralmente inferiores a 23 dias, deve consultar o seu médico. A utilização de um monitor de fertilidade ou de um teste de ovulação doméstico ajudará a prever o momento da ovulação.

Menopausa precoce

Assim que atinge a menopausa, deixa de ser possível engravidar e na fase anterior à menopausa (a perimenopausa) pode ser muito difícil engravidar. Se a sua mãe tiver tido uma menopausa precoce, então as suas hipóteses de uma menopausa precoce são muito maiores, por isso, tente descobrir com que idade é que a sua mãe começou a menopausa. Caso tenha tido uma menopausa precoce, recomendamos que fale com um profissional de saúde sobre os seus planos futuros de gravidez.

2. Problemas com as trompas de Falópio e o útero

As trompas de Falópio transportam os óvulos do ovário para o útero. Um bloqueio nas suas trompas de Falópio pode impedir os espermatozoides de alcançarem o óvulo, assim como um crescimento no útero pode impedir a implantação de um óvulo fertilizado. Descrevemos abaixo alguns destes potenciais problemas de forma mais detalhada.

Infeção por clamídia não tratada

A causa mais comum de bloqueio das trompas de Falópio é uma infeção por clamídia que não tenha sido tratada. A clamídia é uma infeção comum, facilmente transmitida durante relações sexuais sem proteção. 

Algumas mulheres podem não ter conhecimento de que já tiveram uma infeção por clamídia devido à falta de sintomas. Se existir alguma hipótese de ter contraído clamídia, marque uma consulta com o seu médico para fazer um teste.

Fibroides

Consiste no crescimento anormal de tecido muscular no útero que pode bloquear as trompas de Falópio ou impedir a implantação do óvulo fertilizado. Para mais aconselhamento, contacte o seu médico.

Endometriose

Ocorre quando o tecido que reveste o útero cresce fora do mesmo. Pode obstruir as trompas de Falópio, impedindo a fertilização. A endometriose pode causar menstruações abundantes e/ou muito dolorosas. Pode ser tratada com medicação ou através da remoção do tecido extra. O médico pode-lhe dar mais informações.

Sofro de endometriose e estou preocupada por considerar que não vou conseguir engravidar. Tenho razões para isso?

Professor Bill Ledger, especialista em fertilidade

Muitas mulheres com endometriose ligeira poderão engravidar normalmente, embora as probabilidades de ocorrerem alguns problemas de fertilidade sejam maiores. A endometriose grave pode danificar as trompas de Falópio e os ovários, e as aderências que podem resultar da endometriose também podem bloquear as trompas de Falópio. O seu ginecologista será capaz de a aconselhar sobre o que fazer quanto a esta condição. Se tiver endometriose, não tente durante mais de alguns meses sem receber aconselhamento.


Back to top

Como é diagnosticada a infertilidade?

Sabia que até 50% dos casos em que os casais não conseguem engravidar se devem, pelo menos em parte, a um problema com o homem5? Existem três principais problemas que afetam a fertilidade de um homem: baixa contagem de espermatozoides ou a má qualidade dos espermatozoides, a disfunção erétil e um grupo de outras causas menos comuns. Continue a ler para obter mais informações sobre cada uma delas.

Baixa contagem de espermatozoides ou fraca qualidade dos espermatozoides

Se a ejaculação não tiver tantos espermatozoides como é habitual, as hipóteses de fertilização de um óvulo por parte de um espermatozoide são reduzidas. Se a qualidade dos espermatozoides for fraca, podem não conseguir alcançar o óvulo e quebrar a membrana de modo a fertilizar o mesmo.

A produção de espermatozoides pode diminuir se os testículos não forem mantidos num ambiente fresco. O uso de roupa interior larga pode ajudar a garantir que os testículos não aquecem demasiado. A contagem e a qualidade dos espermatozoides podem ser avaliadas através de um teste simples que pode fazer através do seu médico.

Disfunção erétil

Se um homem tiver problemas em ter uma ereção ou em manter uma ereção, por razões físicas ou psicológicas, vai ter dificuldades em manter relações sexuais. Existe ajuda disponível, por isso, consulte o seu médico para obter mais informações.

Outras causas

As causas menos comuns para os problemas de infertilidade masculina incluem um bloqueio no tubo que transporta os espermatozoides dos testículos, condições genéticas, problemas hormonais ou outras condições mais raras. O seu médico será capaz de diagnosticar a presença de qualquer destes problemas através de testes.


O que pode aumentar o risco de infertilidade?

Existem outros fatores, que podem afetar tanto a fertilidade do homem como a da mulher.

Consumir bebidas alcoólicas

A fertilidade feminina e masculina pode ser afetada pelo consumo de demasiado álcool. A redução da quantidade de álcool ingerido pode ajudá-la a engravidar. Para além disso, beber durante a gravidez pode afetar a saúde do bebé, por isso, se estiver a tentar engravidar, vale a pena cortar no consumo de álcool (ou deixar de beber por completo) porque nunca se sabe quando é que se vai ter êxito.

Fumar

Em comparação com os não fumadores, os homens que fumam podem ter uma contagem de espermatozoides inferior e/ou um número superior de espermatozoides com anomalias. Nas mulheres, fumar pode afetar a fertilidade e desencadear a menopausa precoce. Pode também aumentar o risco de aborto espontâneo e de parto prematuro. Fumar é muito mau para a saúde do bebé que está para nascer, pelo que é melhor deixar de fumar antes de engravidar.

Tanto a futura mãe como o parceiro devem tentar parar de fumar se estiverem a tentar engravidar.

Drogas recreativas

Existem muitos tipos diferentes de drogas recreativas e ilegais utilizadas atualmente e a forma como afetam a fertilidade ainda não foi bem estudada. Uma vez que muitas drogas podem ter efeitos nocivos para um bebé em desenvolvimento, deve parar de usar qualquer droga recreativa quando estiver a tentar engravidar (se esta for ilegal, deve parar de a tomar por completo!).

Substâncias para modelação corporal

Alguns fisiculturistas podem usar substâncias que podem afetar a fertilidade: 

  • Testosterona. A testosterona suplementar (também conhecida como reposição de testosterona) pode afetar negativamente a produção de espermatozoides. O consumo de testosterona indica que os testículos estão a produzir mais testosterona e a produção de espermatozoides é bloqueada. Além disso, a testosterona natural também pára, fazendo com que o nível nos testículos caia drasticamente, tornando-se demasiado baixo para suportar uma forte produção de espermatozoides. A boa notícia é que esta situação pode ser invertida ao parar-se de tomar a testosterona, mas a produção de espermatozoides pode levar 6 a 12 meses até voltar ao normal.  
  • Esteroides anabolizantes. Tal como com a testosterona suplementar, os esteroides anabolizantes podem interferir com os sinais hormonais necessários para produzir espermatozoides. Os danos dependem da substância tomada, da dose e do período de tempo em que é tomada. Felizmente, os homens recuperam a produção de espermatozoides 3 a 12 meses após pararem de tomar a substância.
     

Peso

Ter peso a menos ou a mais pode alterar o ciclo menstrual e reduzir as suas hipóteses de conceção. Os homens com excesso de peso têm uma contagem inferior de espermatozoides e com uma qualidade mais fraca. 

Consulte o seu médico ou profissional de saúde para ficar a saber qual é o seu peso ideal e para obter aconselhamento prático sobre como ganhar ou perder peso, caso seja necessário.

Medicação

Se você ou o seu parceiro estiver a tomar medicação, confirme com o seu médico que esta não reduz a fertilidade. Se reduzir a fertilidade, pode haver alternativas disponíveis.

Lubrificantes

Determinados lubrificantes vaginais utilizados durante a relação sexual para combater a secura vaginal, podem não criar um ambiente propício aos espermatozoides e dificultar a motilidade dos mesmos, afetando as hipóteses de conceção.

A secura vaginal é mais comum do que pensamos. Num estudo levado a cabo em 11 países envolvendo 6500 mulheres, até 18% das mulheres com idades compreendidas entre os 18 e os 34 anos comunicaram sofrer sempre ou sofrer normalmente de secura vaginal6. Esta situação pode tornar-se pior quando se tenta engravidar, uma vez que há uma tendência para se ter mais relações sexuais. 

Alguns dos lubrificantes mais frequentemente disponíveis podem ser prejudiciais aos espermatozoides, pelo que a utilização desses lubrificantes pode reduzir as suas hipóteses de engravidar. Existem lubrificantes que criam um ambiente propício para os espermatozoides.

Idade

Uma mulher nasce com uma reserva de óvulos para toda a vida e o número vai diminuindo com a passagem dos anos. Depois dos 38-40 anos, a taxa de perda aumenta e a qualidade dos óvulos diminui. 

Se tiver mais de 35 anos, é aconselhável visitar o seu médico depois de 6 meses a tentar engravidar e, se tiver mais de 40 anos, peça conselhos ao seu médico assim que estiver pronta para começar a tentar engravidar. 

Infertilidade inexplicável

Por vezes, todos os testes clínicos indicam valores normais, mas, após alguns anos a tentar engravidar, isso não acontece. Pode ser bastante frustrante e angustiante porque não há nada no qual se possa focar que possa ser retificado ou tratado. 

No Reino Unido, cerca de 1 em cada 4 casais tem uma infertilidade inexplicável. Se uma mulher tiver uma infertilidade inexplicável e ainda não tiver sido capaz de conceber após 2 anos de relações sexuais regulares sem proteção, deve ser-lhe disponibilizado tratamento de fertilização in vitro7.  

O meu marido, Joel, e eu já estávamos a tentar engravidar há muitos meses sem sucesso. Tentámos utilizar as aplicações e até recebemos o sorriso do Teste de ovulação Clearblue, mas não estávamos a ter sorte.
Finalmente, após meses de espera, frustração e esperança, no primeiro dia do confinamento em Nova Iorque, fizemos o teste. Tínhamos conseguido!! Tudo acontece por uma razão e no seu devido tempo.
Obrigado, Clearblue

Madison, EUA (2020) - Veja mais histórias em #Conceivinghood 
 

Como é diagnosticada a infertilidade?

O seu médico pode fazer um exame físico, perguntar-lhe sobre o seu estilo de vida, verificar qualquer medicação que esteja a tomar, falar consigo sobre com que frequência e a altura em que está a ter relações sexuais, e ainda perguntar sobre quaisquer outros fatores que possam afetar a sua fertilidade.

O seu médico também pode verificar: 

  • Se tem um índice de massa corporal saudável (IMC). 
  • Se for mulher, examinar a sua zona pélvica para detetar quaisquer nódulos ou sensibilidade que possa ser um sintoma de outras condições de saúde como endometriose, fibroides ou outras condições que possam causar infertilidade. 
  • Se for homem, examinar os testículos, para detetar quaisquer nódulos, e o pénis para examinar a sua forma, estrutura e verificar a existência de quaisquer anomalias. 

Posteriormente, o seu médico pode prescrever alguns testes ou encaminhá-la para um especialista em fertilidade, a fim de a diagnosticar e determinar a causa da infertilidade. 

Testes de fertilidade para mulheres

O seu médico pode disponibilizar uma série de testes para ajudar a determinar a infertilidade ou problemas de fertilidade. Estes podem incluir: 

  • Análises ao sangue. Uma análise ao sangue pode avaliar os níveis de uma hormona chamada progesterona e o médico pode utilizar este teste para verificar se está a ovular. Se tiver menstruações irregulares, poderá ser-lhe disponibilizado outro teste para medir as suas hormonas gonadotrofinas, que estimulam os ovários para produzir óvulos.  
  • Teste de clamídia. Este teste verifica a existência de uma DST (doença sexualmente transmissível) chamada clamídia, que pode causar infertilidade. 
  • Ecografia. Uma ecografia pode ser utilizada para verificar os ovários, o útero e as trompas de Falópio para determinar se tem quaisquer condições que possam impedir a gravidez (tais como fibroides ou endometriose) ou para verificar se existem bloqueios nas trompas de Falópio. 
  • Raio X. Um raio X do seu útero ou das trompas de Falópio após a injeção de um corante especial, também conhecido como histerossalpingografia, também pode ser utilizado para detetar quaisquer bloqueios nas trompas de Falópio. 
  • Laparoscopia. Trata-se de uma cirurgia laparoscópica onde é inserido um tubo fino com uma câmara para examinar o útero, as trompas de Falópio e os ovários. Este tipo de teste só é utilizado se tiver tido uma doença inflamatória pélvica no passado ou outros exames mostrarem um possível bloqueio nas trompas de Falópio.

Testes de fertilidade para homens

Se se suspeitar que um homem tem problemas de fertilidade, o médico pode recomendar testes como: 

  • Análise do sémen. A principal causa de infertilidade nos homens é a baixa contagem de espermatozoides ou a má qualidade dos espermatozoides, ou seja, os espermatozoides não têm motilidade suficiente (espermatozoides que se deslocam de forma inadequada). Uma análise do sémen pode ajudar o médico a compreender melhor quais as questões que podem estar em jogo.
  • Teste de clamídia. A clamídia também pode afetar a fertilidade masculina. 

Existe algum tratamento para a infertilidade?

O possível tratamento da infertilidade depende realmente da causa. O seu médico pode indicar-lhe as opções disponíveis se a sua infertilidade puder ser tratada com base na sua situação pessoal.  Poderão também ser-lhe disponibilizadas mais informações sobre alternativas, como a ART (tecnologia reprodutiva medicamente assistida). 

O que é a infertilidade secundária? 

A infertilidade secundária é quando uma mulher luta para conceber, apesar de já ter tido um bebé no passado. A infertilidade pode dever-se a qualquer um dos parceiros. Muitas causas de infertilidade secundária sobrepõem-se às da infertilidade primária, mas algumas das causas comuns são: 

  • produção de espermatozoides reduzida no homem
  • danos nas trompas de Falópio
  • doenças associadas à ovulação 
  • endometriose 
  • condições uterinas 
  • complicações relacionadas com a gravidez anterior ou cirurgia abdominal 
  • o fator de risco muda para si ou para o seu parceiro, por exemplo, consoante a idade, ganho ou perda de demasiado peso, ou ter uma DST, como a infeção por clamídia 
  • determinados medicamentos. 

Perguntas frequentes sobre infertilidade

  • O que pode causar infertilidade numa mulher?

    Existem várias causas possíveis de infertilidade nas mulheres, mas a mais comum é a anovulação (quando a ovulação não acontece). Outras causas possíveis podem ser uma infeção por clamídia, SOP ou um bloqueio nas trompas de Falópio. Além disso, a idade é outro fator, já que as mulheres que se aproximam da menopausa podem ter dificuldades em engravidar.

  • Pode ter um bebé se não for fértil?

    Depende da causa da infertilidade. Muitos casais inférteis conseguem conceber sem tratamento e, depois de tentarem engravidar durante dois anos, cerca de 95% dos casais são bem-sucedidos8.

    No entanto, em alguns casos não será possível engravidar sem ART ou outra forma de tratamento.

  • Como é que se pode saber se uma mulher é infértil?

    Se uma mulher tiver menstruações anormalmente curtas ou longas, ou menstruações irregulares ou em falta, pode não estar a ovular e esta é uma das principais causas de infertilidade.

  • Quando é que me devo preocupar com a infertilidade?

    Se está a tentar engravidar há mais de um ano ou 6 meses se for uma mulher com mais de 35 anos, é melhor falar com o seu médico.

  • Como é que posso testar a minha fertilidade?

    Se a infertilidade for uma preocupação, o seu médico pode recomendar determinados testes e exames a fim de diagnosticar ou descartar quaisquer problemas.

Conclusão

Se já há algum tempo que tenta engravidar e ainda não conseguiu, é natural que pense que talvez não seja fértil. No entanto, é importante notar que existem muitos casais que tentam conceber há um ano e que acabam por ter uma gravidez saudável. No entanto, se está há mais de um ano a tentar, é possível que existam alguns problemas que possam estar a causar a infertilidade.   

A infertilidade (tentar engravidar há mais de um ano) é também mais comum do que se possa pensar. Existem inúmeras causas possíveis para a infertilidade e pode afetar tanto homens como mulheres. A dificuldade em engravidar pode dever-se simplesmente ao facto de se enganar no momento de ter relações sexuais, mas também pode ser algo que requer tratamento. Felizmente, existem muitas opções para casais que tentam engravidar, como determinados tratamentos ou mesmo ART, que lhes permitem ter bebés saudáveis e felizes. Se estiver preocupada com a infertilidade, fale com o seu médico. 

  1. https://www.britishfertilitysociety.org.uk/fei/what-is-infertility/ (acedido em abril de 2021)
  2. Johnson SR., et al. Hum. Repro. (2011) 26: i236
  3. Hambridge HL., et al. Human Reproduction. (2013) 28: 1687–1694
  4. NHS. Polycystic ovary syndrome.(acedido em abril de 2021)
  5. Kumar n, et al. Journal of human reproductive sciences (2015) 8(4)
  6. Leiblum SR., et al. J Sex Med. (2009) 6: 2425–2433.
  7. https://www.nhs.uk/conditions/infertility/ (acedido em abril de 2021)
  8. https://www.mayoclinic.org/diseases-conditions/female-infertility/symptoms-causes/syc-20354308 (acedido em abril de 2021)