Os consultores da Clearblue respondem às perguntas mais comuns sobre a saúde reprodutiva para permitir que possa compreender melhor como funciona o seu corpo.

Na Clearblue, consultamos ativamente um leque de especialistas líderes de todo o mundo em Gravidez e Fertilidade para nos apoiar no nosso compromisso de ajudar o máximo de mulheres possível a aumentar as suas hipóteses de ter uma gravidez saudável. Os nossos especialistas, todos altamente conceituados nos seus domínios, são oriundos de áreas como a Reprodução assistida, a Fertilidade e Gravidez precoce. Estão aqui para lhe fornecer um conhecimento abrangente para uma maior compreensão da sua vida reprodutiva.


Bill Ledger - A planear ter um bebé P&R

Bill Ledger

Bill Ledger é Professor e Diretor do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia da Universidade New South Wales situada em Sidney (Austrália), para onde foi transferido do cargo de Diretor do Departamento da Universidade de Sheffield (Reino Unido) em 2011. É também Diretor de Pesquisa e desenvolvimento da IVF-Australia. Publicou extensamente sobre a infertilidade e as suas causas, pertence ao Conselho Editorial de várias revistas científicas de topo, incluindo a Fertility and Sterility e BJOG e também foi membro da Autoridade para a Fertilização Humana e a Embriologia até à sua mudança em 2011.

 
  • Por que razão se recomenda ácido fólico quando está a tentar engravidar?

    Há evidências sólidas de que ter um bom nível de ácido fólico no sangue no momento da conceção reduz substancialmente o risco de o bebé ter malformações do tubo neural, como a espinha bífida. As autoridades públicas de saúde no Reino Unido, EUA e noutros países recomendam às mulheres saudáveis a ingestão de 0,4 ou 0,5 mg de ácido fólico por dia (disponível em muitos suplementos vitamínicos de pré-gravidez) e às mulheres que fatores de risco de fraco metabolismo de ácido fólico, como as mulheres que tomam antiespasmódicos ou as mutações genéticas MTHFR devem tomar 5 mg por dia. O importante é tê-lo no óvulo antes que seja fecundado.

  • Há alimentos que devem ser evitados quando se está a tentar engravidar?

    A maioria dos alimentos é completamente inofensivo durante a gravidez e é importante manter uma dieta equilibrada e saudável com as quantidades razoáveis de diferentes categorias nutricionais. No entanto, neste momento, há preocupações quanto à infeção por listeria que pode apanhar em alimentos não pasteurizados e crus. Estes incluem leite não pasteurizado, queijos de pasta mole, saladas pré-preparadas (por exemplo, nos buffers de salada), vegetais crus não lavados, patê, frango fatiado frio, fruta pré-cortada e salada de frutas. Para prevenir a listeriose evite estes alimentos de alto risco e cozinhe completamente os alimentos crus de origem animal, como a carne de vaca, o borrego, o porco ou as aves, mantenha e prepare a carne crua separada dos vegetais, alimentos cozinhados e pronto-a-comer e lave os vegetais crus e a fruta cuidadosamente antes de comer.

  • Recentemente tive um aborto; quando posso começar a tentar engravidar de novo?

    No passado, os ginecologistas aconselhavam as mulheres a esperar, pelo menos, três meses antes de tentarem engravidar após um aborto. No entanto, a pesquisa comprovou que não tem as mesmas hipóteses de uma gravidez saudável se tentar depois do primeiro período normal após o aborto. Não há nenhum benefício na espera e muitas mulheres querem tentar novamente logo que seja seguro. No entanto, certifique-se de que se sente preparada a nível psicológico. É saudável e normal fazer o luto pela perda da gravidez e nem toda a gente quer engravidar novamente de imediato.

  • Fui diagnosticada com a síndrome do ovário poliquístico. Vou ter mais dificuldades em engravidar? Porquê?

    As mulheres com a síndrome do ovário poliquístico geralmente não ovulam ou, pelo menos, não ovulam regularmente. Este grupo de mulheres tem períodos irregulares ou pouco frequentes. Se não ovular, o óvulo não é libertado do ovário para que passe pela trompa de Falópio, a fim de ser fertilizado e implantado no útero.

    Há vários tratamentos para a anovulação (um ciclo quando nenhum óvulo é libertado) com a síndrome do ovário poliquístico. Entre os tratamentos está a toma de comprimidos de clomifeno (Clomid) e injeções de medicamentos para infertilidade. O seu médico pode aconselhá-lo quanto a este assunto e encaminhá-lo para uma clínica especializada que a possa ajudar.

  • Como estamos a tentar engravidar, devemos aumentar a frequência das relações sexuais? Muitas relações sexuais podem piorar a qualidade ou a quantidade do esperma?

    O esperma armazenado durante demasiado tempo nos testículos acumula danos ao ADN e é menos fértil. Com os casais que têm relações sexuais frequentes (diárias), o homem tem uma contagem de espermatozoides mais baixa por ejaculação, mas o esperma é mais fértil. Se está a tentar engravidar, tente ter relações sexuais, pelo menos, uma vez dia sim dia não perto da altura da ovulação.

    Os Testes de Ovulação Clearblue podem-na ajudar nesta fase. Se quer ter relações sexuais mais frequentemente, não tem mal nenhum. No entanto, é importante evitar o stress. Por isso, se preferir ter relações sexuais com menor frequência, tente apenas um pouco mais nesta altura do mês.

  • Quanto tempo devo esperar entre a minha última gravidez e tentar ter o meu próximo filho?

    É óbvio que é importante que o seu pequeno bebé tenha tempo com a mãe e o pai, tanto para o apoio físico do aleitamento materno, mas também porque a educação e a ligação são vitais para o desenvolvimento do bebé nos primeiros meses. Muitas mulheres que amamentam reparam num atraso nos períodos após o parto. Ainda assim, não se pode confiar nisto como uma forma de contraceção.

    Também é importante para decidir o tamanho desejado para a sua família e trabalho fazer as contas tendo em conta a sua idade. A idade do casal, especialmente da mulher, tem um grande impacto nas hipóteses de engravidar novamente. Se tiver mais de 35 anos ou provier de uma família com menopausa precoce, vale a pena tentar novamente o mais cedo possível. Este também é o caso se o homem tiver mais de 45 anos.

  • Posso ovular mais de uma vez durante o meu ciclo?

    Sim, é possível ovular duas vezes, mas isto normalmente acontece mais ao menos ao mesmo tempo. É assim que acontecem os gémeos não idênticos, de uma ovulação de dois óvulos separados. Acontece com mais frequência em mulheres com mais de 35 anos, sendo por isso que é o grupo de mulheres mais velhas que tem mais gémeos. A outra razão é porque muitas clínicas de Fertilização In Vitro substituem dois embriões para as doentes mais velhas, sendo que para as doentes com menos de 40 anos é apenas substituído um embrião.

  • Algumas posições sexuais podem aumentar as nossas hipóteses de engravidar?

    Esta parece ser uma antiga lenda. Muitas mulheres reparam que o sémen parece escorrer da vagina após as relações sexuais e, por isso, deitam-se em cima de almofadas ou colocam as pernas no ar após o sexo. No entanto, essa perda é apenas do fluido seminal - os espermatozoides móveis movem-se muito rapidamente no muco cervical e, portanto, não se preocupe com o que escorre.

  • É verdade que se colocar as pernas no ar durante 30 minutos após as relações sexuais tenho mais hipóteses de engravidar?

    É provável que não. Leia acima - se vai acontecer acontece e deitar-se em posições fora do comum não vai ajudar.

  • Sofro de endometriose e estou preocupada de não conseguir engravidar. Tenho razões para isso?

    Muitas mulheres com endometriose ligeira podem engravidar facilmente. Ainda assim, as hipóteses de subfertilidade até mesmo para o grupo ligeiro são superiores à taxa de extinção para a idade. A endometriose grave pode danificar trompas de Falópio e os ovários, e a aderências que podem resultar da endometriose também podem bloquear as trompas. O seu ginecologista será capaz de a aconselhar sobre o que fazer sobre isso. Não tente mais de alguns meses sem procurar aconselhamento.

  • Estamos a planear engravidar, há suplementos alimentares, além do ácido fólico, que me podem ajudar?

    O ácido fólico é o mais importante. No entanto, vale a pena verificar o nível da vitamina D e tomar um substituto em caso de deficiência (o que é muito comum). Caso opte por uma dieta com pouca carne vermelha, pode precisar de um suplemento de ferro e se optar uma dieta vegan, pode ser necessário considerar outros suplementos. Porém, há uma grande indústria concebida para vender vitaminas e suplementos a mulheres que desejam engravidar, e não há muita evidência que comprove que as mulheres jovens e saudáveis com uma alimentação equilibrada precisem de tomar todas estas poções.

  • Estamos a planear engravidar, o meu parceiro deve tomar algum suplemento alimentar?

    Não, a menos que tenha problemas de saúde específicos ou restrições alimentares. Caso esteja a tentar engravidar há algum tempo, não custa nada pedir ao médico para marcar um exame de contagem de espermatozoides - se o resultador for normal, não se tem de preocupar com a dieta. Pare de fumar, beba moderadamente duas ou três vezes por semana, mantenha o seu peso dentro da faixa normal para a sua altura (mas não perca muito) e desfrute de uma feliz vida amorosa.

  • Parece que os meus ciclos nunca têm a mesma duração. Isso é normal?

    Muitas mulheres, naturalmente, têm um ciclo menstrual que varia em alguns dias de mês para mês. Se estiver a tentar engravidar, identificar precisamente a sua janela de fertilidade maior pode ser uma vantagem. Consulte as soluções disponíveis no vídeo abaixo.

     


Caroline Overton - Estou grávida? P&R

Caroline Overton

Caroline Overton é uma consultora de Ginecologia e Obstetrícia no Hospital Universitário de St. Michael em Bristol, com competências específicas em ecografia ginecológica e cirurgia laparoscópica. É a Chefe de Ginecologista na Early Pregnancy Clinic e no Endometriosis Centre de Hospitais Universitários de Bristol. A nível nacional, é Presidente da Associação de Unidades de Gravidez Precoce e conselheira médica de endometriose no Reino Unido. Foi membro do grupo de desenvolvimento das diretrizes do National Institute of Clinical Excellence (NICE, Instituto Nacional de Excelência Clínica) sobre aborto e gravidez ectópica em dezembro de 2012. Overton tem escrito vários livros sobre medicina reprodutiva (fertilidade), cirurgia laparoscópica e endometriose.

 

Michael Thomas - Ainda não está grávida P&R

Michael Thomas

O Dr. Michael A. Thomas é Professor de Ginecologia e Obstetrícia e é Fellowship e Diretor Sénior da Secção de endocrinologia reprodutiva e infertilidade da Universidade de Cincinnati, Faculdade de Medicina, Cincinnati, Ohio. As suas funções anteriores incluem Diretor do Centro de Saúde Reprodutiva da Universidade de Cincinnati e Vice-Presidente do Departamento de Obstetrícia e Ginecologia. É certificado pela ordem em Obstetrícia e Ginecologia e Endocrinologia Reprodutiva e Infertilidade.

O Professor Thomas fez a sua licenciatura na Universidade de Northwestern, Evanston, Illinois, em 1980 e o seu doutoramento na Universidade de Illinois, Faculdade de Medicina, Champaign, Illinois em 1984. Os seus interesses de investigação incluem contraceção, infertilidade, stress e função reprodutiva, endocrinologia reprodutiva e a menopausa. É também membro da Endocrine Society, da Society for Gynecologic Investigation (SGI) e da Society for Family Planning (SFP).

O Professor Thomas é nacionalmente reconhecido como um líder no campo da reprodução assistida e publicou extensivamente nesta área, incluindo artigos no Fertility and Sterility, Journal of Assisted Reproduction and Genetics, Journal of Clinical Endocrinology and Metabolism, and Menopause.

 
  • O stress afeta a minha capacidade de engravidar?

    O stress tem provavelmente um impacto mínimo na capacidade da mulher engravidar. Os estudos têm demonstrado que atletas de elite e as mulheres com uma baixa produção hormonal feminina (distúrbios de alimentação, problemas com baixo peso) ativam as hormonas de stress o que pode ter um impacto na sua capacidade de libertar o óvulo, O stress normal do dia a dia pode não ter tanto impacto na sua capacidade de conceber. Normalmente as situações stressantes são de curto prazo e não têm um efeito contínuo na sua fertilidade.

  • Tenho ciclos muito curtos. É por isso que não consigo engravidar?

    O ciclo normal é geralmente de 23 a 35 dias. Os ciclos menores ou maiores podem estar associados a problemas de fertilidade. Ao longo da vida reprodutiva da mulher, a duração típica do seu ciclo pode encaixar neste período de tempo. Se os seus ciclos forem geralmente inferiores a 23 dias, deve consultar o seu médico. O uso de um monitor de fertilidade caseiro ajuda a prever o momento da ovulação.

  • Já tive um filho(s) mas, desta vez, estou com dificuldades em engravidar; por que será isto?

    Uma série de fatores pode dificultar a sua capacidade de engravidar mesmo depois de ter tido um filho. O problema mais comum é a sua idade atual. Se já teve um filho e agora tem mais de 35 anos, a sua capacidade para engravidar pode ter diminuído. Pode também ter desenvolvido um problema com a sua capacidade de ovular consistentemente e/ou um pólipo ou fibroide na cavidade uterina que pode afetar a capacidade de implantação e desenvolvimento do embrião. Além disso, o seu parceiro pode ter uma anormalidade no esperma que causou uma diminuição na contagem de espermatozoides, motilidade ou forma dos mesmos. Se estiver preocupada, consulte o seu prestador de cuidados de saúde.

  • Optei no passado por uma interrupção voluntária da gravidez; isso pode afetar a minha capacidade de engravidar agora?

    Geralmente a interrupção voluntária da gravidez não afeta a sua capacidade futura de engravidar. Em raras ocasiões, pode desenvolver aderências no útero que podem causar problemas à fertilidade futura. Se tiver ciclos menstruais normais, as hipóteses de ter aderências que afetem a sua fertilidade são baixas. Consulte o seu especialista em fertilidade ou ginecologista para se certificar que o seu útero não foi afetado, se tiver menos de 35 anos e já tenta engravidar há um ano e tem ciclos entre 23 a 35 dias. Se tiver mais de 35 anos, pense em marcar uma consulte após 6 meses e imediatamente se tiver mais de 40 anos.

  • Ouvi falar que se pode calcular a reserva dos ovários (o número e a qualidade dos óvulos que tenham) através de testes sanguíneos de FSH e da hormona antimulleriana - o que isto significa?

    Em mulheres com idade superior a 35 anos, a maioria dos médicos faz testes de rotina à reserva dos ovários se está a tentar engravidar. Os testes sanguíneos incluem um teste da hormona antimulleriana (HAM) que pode ser feito em qualquer altura do ciclo menstrual e mesmo se estiver a tomar a pílula. A hormona antimulleriana (HAM) é composta por células de folículos dos ovários e pode ser uma forma precoce de determinar a reserva restante nos seus ovários. A interpretação dos resultados deste teste pode variar de prestador de cuidados de saúde para prestador de cuidados de saúde.

    Além disso, no 3º dia do ciclo menstrual (dois dias depois de iniciar o período), pode fazer um teste sanguíneo à hormona de estimulação dos folículos (FSH) e Estradiol. Estes dois testes podem ser uma maneira de determinar a decrescente função ovariana no início do ciclo menstrual quando o folículo dominante é recrutado para a ovulação. Outro teste da reserva ovariana fraca é a contagem de folículos de Graaf. Durante este teste, é utilizada uma ecografia transvaginal para determinar o número de folículos que estão prontos para o recrutamento no 3º dia do ciclo. Pode encontrar informações mais detalhadas sobre o teste da reserva ovariana em www.reproductivefacts.org

  • Tenho 35 anos e ainda não encontrei o meu parceiro de vida, mas ainda gostaria de ter um bebé no futuro. Devia pensar em congelar os meus ovos agora?

    A American Society for Reproductive Medicine declarou recentemente que não se considera o congelamento de óvulos (oócito) experimental. Por isto, os centros de fertilidade podem agora congelar os óvulos das mulheres que os possam querer usar no futuro. As pacientes que estão a ponderar esta opção podem congelar os óvulos sozinhos ou congelar uma combinação de óvulos e embriões (óvulos fertilizados) utilizando esperma de dador. Doravante, a descongelação dos óvulos e a subsequente fertilização varia de centro para centro. Acredita-se que os embriões têm uma melhor hipótese de descongelamento e implantação no útero do que descongelar os óvulos e tentar fertilizá-los posteriormente.

  • Não sei se ovulo todos os meses. O que pode estar a causar isto?

    Há uma série de razões para as mulheres não ovularem todos os meses. Se tiver ciclos menstruais que ocorrem a cada 23 a 35 dias e tem sintomas de sensibilidade mamária, inchaço, cãibras pélvicas ou uterinas ou mudanças de humor 3 a 14 dias antes do seu ciclo menstrual, é porque provavelmente está a ovular. No entanto, se os seus ciclos são geralmente superiores a 35 dias, pode não estar a ovular consistentemente ou de todo. A maioria das mulheres que não ovula e não estão grávidas, podem ter síndrome do ovário poliquístico (SOP). A SOP é uma condição com que nasce e que pode fazer com que uma mulher não ovule (liberte um óvulo) regular e consistentemente. Estas mulheres também podem ter acne adulta ou um aumento de crescimento de pelos acima do lábio ou abaixo do queixo. Através de ecografia, os ovários podem ser vistos com muitos pequenos quistos dentro, que permanecem pequenos. Outras condições que podem fazer com que não ovule incluem baixa função da tireóide (hipotireoidismo), alta produção de prolactina (hiperprolactinemia), e durante o período de tempo anterior à menopausa (perimenopausa). Se achar que não ovula consistentemente, deve consultar o seu prestador de cuidados de saúde.